skip to main content


A era da odontologia adesiva: saiba tudo sobre os cimentos resinosos

O cimento é o elo mais fraco de uma prótese. Essa sabida verdade assusta clínicos e pesquisadores, que acabaram se interessando pelo desenvolvimento de materiais que garantissem uma maior resistência de união entre dente e peça. Adeus ao fosfato de zinco? Por muito tempo, os cimentos à base de fosfato de zinco foram a principal opção para a cimentação de restaurações indiretas. Sua alta solubilidade no meio bucal, a dependência da geometria do preparo para a retenção da peça e a impossibilidade de escolha de cor do cimento acabaram fazendo com que a maioria dos clínicos passasse a optar pelos cimentos resinosos. Os cimentos resinosos 1. Composição Os cimentos resinosos são resinas compostas com menor quantidade de partículas de carga para aumentar a sua fluidez e o seu escoamento. Dessa forma, assim como acontece com as resinas compostas, a adesão à estrutura dental é dependente do condicionamento ácido do elemento dental. 2. Vantagens • Modos de ativação diferenciados. • Possibilidade de escolha de cores. • Alta resistência. • Baixa solubilidade no meio bucal. • Alta retenção micromecânica e química. 3. Indicações Saiba quais as indicações dos cimentos resinosos, a importância de seus diferentes tipos de polimerização, que tipo apresenta maior estabilidade de cor e como evitar a sensibilidade pós-operatória – clique aqui.

LER MAIS

A odontologia e a tecnologia: a importância do fluxo digital

A odontologia não é mais a mesma! Conheça a o fluxo digital na odontologia Com os avanços modernos após a Guerra Fria e a ida do homem à Lua, houve um boom tecnológico nos últimos 20 anos. E cada vez mais rápido as mudanças acontecem. Entenda como isso influencia o cotidiano de dentistas e técnicos em prótese. Conceito O fluxo digital na odontologia é uma nova forma de pensar a odontologia com o auxílio de softwares, máquinas e aplicativos para oferecer as melhores soluções para os pacientes. Odontologia pré e pós internet Antes, para fazer uma coroa eram necessárias várias etapas: desgaste dental, moldagem, confecção do provisório, envio do molde para o laboratório, recebimento do coping, prova, envio ao laboratório, aplicação da porcelana, envio para prova, onde poderiam ser feitos alguns ajustes, envio para o laboratório para o glaze e a cimentação. Hoje, muitas dessas etapas podem ser eliminadas. A começar pela moldagem. Com o escaneamento da boca do paciente é possível já enviar a “moldagem digital” imediatamente ao laboratório, que pode fazer o projeto da coroa e fresar em cerâmicas modernas que substituem o metal. Como o técnico em prótese tem a relação entre os arcos, então os pontos de contato e oclusão podem já ...

LER MAIS

Lentes de contato e facetas: entenda de uma vez por todas as diferenças entre os tratamentos

Com a alta demanda da odontologia estética, os tratamentos mais desejados do momento são as lentes de contato e as facetas, pois são capazes de transformar o sorriso. Entretanto, muitas vezes são consideradas a mesma coisa, porém, teoricamente, não o são. Entenda um pouco mais a fundo esses tratamentos. Facetas A partir de 1930, houve o primeiro relato na literatura sobre facetas. Havia a fixação de dentes de acrílico com pó e adesivo, sem nenhum desgaste dental dos dentes, o que foi considerado um procedimento provisório. Eram utilizadas por atores de Hollywood durante filmagens. Alain Rochete, em 1975, propôs o uso das restaurações adesivas de cerâmica na dentição anterior, dando inicio à era estética da odontologia. Não há consenso, mas, em geral, os autores estabelecem que as facetas possuem de 0,7 a 2,0 mm, dando a elas um bom poder de cobertura do renascente dental. Indicações: - Alterações de forma, textura anormais (atrição, erosão, abrasão, dentes conoides, microdontia). - Mau posicionamento, dentes apinhados ou girovertidos. - Fechamento de diastemas (principalmente em casos de diastemas múltiplos). - Restauração de dentes fraturados. - Para restabelecer guia anterior ou canina. - Correção estética de defeitos estruturais, sejam congênitos ou adquiridos, tais como cáries extensas de esmalte, fraturas ...

LER MAIS