skip to main content


Direto ao ponto: dicas para a seleção de cor em prótese dental.

A cor faz parte da tríade da estética dental, seguida por forma e textura dos dentes. Em odontologia, nos interessa a cor psicosensorial, ou seja, matiz, valor e croma interpretados pelos olhos e pelo cérebro do observador. Conceitos importantes na seleção de cor Matiz: escala que se distingue uma cor da outra. Corresponde ao comprimento de onda de luz refletida pelos dentes. Na escala Vita, a mais utilizada para seleção de cor, há quatro matizes: Vermelho-amarronzado (A) Amarelo-alaranjado (B) Cinza-esverdeado (C) Cinza-rosado (D) Valor: quantidade de preto e branco existente na cor, ou seja, distingue cores claras e escuras. Cores distintas com o mesmo valor acabam por parecer muito semelhantes. Este fator é muito importante na escolha da cor, visto que é muito influenciado pela intensidade da luz do ambiente. Croma: quantidade de pigmento do matiz. Por exemplo, na escala do matiz A, temos níveis de croma A1 a A4. O croma também pode ser interpretado como o aumento no valor. Continue lendo e saiba tudo sobre este assunto tão importante ao cotidiano clínico! Clique aqui e baixe nosso e-book exclusivo: http://materiais.artworkdentallab.com.br/selecao-cor

LER MAIS

Antibióticos mais usados em odontologia são ligados à infecção por superbactéria

Uma pesquisa do Departamento de Saúde de Minnesota (MDH) concluiu que a prescrição desnecessária de antibióticos por dentistas pode desempenhar um papel importante nos casos de infecção por Clostridium difficile, uma infecção potencialmente fatal que causa diarreia grave. "Os dentistas têm sido negligentes como uma fonte de prescrição de antibióticos, o que potencialmente pode atrasar o tratamento quando os médicos estão tentando determinar o que está causando a doença do paciente," disse a Dra. Stacy Holzbauer, principal autora do estudo e profissional de campo de epidemiologia funcionária dos Centers for Disease Control and Prevention (CDC) e MDH. "É importante educar os dentistas sobre as potenciais complicações da prescrição de antibióticos. Dentistas escreverm mais de 24,5 milhões de prescrições de antibióticos por ano. É essencial que eles sejam incluídos nos esforços para melhorar a prescrição de antibiótico", acrescentou. A American Dental Association (ADA) já atualizou suas recomendações acerca da necessidade de profilaxia antibiótica em odontologia. As recomendações atuais consideram que o risco de tomar antibióticos – tais como o desenvolvimento de C. difficile – é maior do que o risco de uma infecção nesses casos.   Fonte: Dental Tribune

LER MAIS

Anticoncepcionais favorecem desenvolvimento de doenças periodontais

Uma das classes de medicamentos mais utilizados no mundo, os anticoncepcionais produzem efeitos sobre o corpo das mulheres que só vem recentemente sendo descobertos. Pesquisas recentes comprovaram que os hormônios estão diretamente relacionados às doenças periodontais, o que explica como os anticoncepcionais afetam a saúde bucal. Esta relação foi comprovada em pesquisa realizada nos Estados Unidos e publicada pelo Journal of Periodontology que comparou dois grupos de mulheres e observou que o grupo sob medicação anticoncepcional apresentou maior porcentagem de mulheres com gengivas retraídas, sangramento gengival e gengivas inflamadas do que o grupo controle. Em outro estudo realizado no Canadá, os problemas periodontais foram significativamente maiores nas mulheres que usaram anticoncepcionais orais em comparação com aqueles que usaram outras formas de controle de natalidade. Os dados demonstram que condições sistêmicas podem apresentar grandes impactos sobre a saúde oral e que mulheres que fazem uso de anticoncepcionais devem ter atenção redobrada à higienização oral e aos check-ups odontológicos periódicos.   Fonte: Terra Saúde

LER MAIS